De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 60% das cegueiras são evitáveis. A falta de informação e de consultas periódicas ao oftalmologista são os principais motivos para a deterioração da visão. Alguns hábitos corriqueiros também podem contribuir para problemas oculares sérios que, dependendo da gravidade, podem afetar para sempre a saúde ocular.

Confira alguma erros causados por nós mesmos:

Dormir sem tirar a lente dos olhos – A córnea precisa do oxigênio do ambiente. As lentes de contato contudo, agem como uma barreira. Quando a pessoa está dormindo, essa nutrição é feita por pequenos vasos sanguíneos, presentes na conjuntiva. A noite elas bloqueiam a passagem do oxigênio e o olho fica ressecado sem a quantidade adequada de oxigênio, a córnea se incha formando microfissuras que são portas de entrada para bactérias que pode resultar em infecções na córnea.

Coçar os olhos – Para quem já tem predisposição genética, esfregar constantemente os olhos pode causar uma doença chamada ceratocone. Quando isso acontece, a curvatura da córnea passa a não ser mais regular para se tornar algo parecido com um cone. Ao longo prazo o hábito pode gerar também cicatrizes crônicas na córnea, o que pode custar a visão parcial ou mesmo completa do paciente.

Compartilhar maquiagem – Não há muito problema em dividir maquiagem, mas é preciso ficar atenta se a colega que emprestou está com a saúde ocular em dia. Rímel e lápis de olho, por exemplo, são aplicados muito próximos ao olho, ou seja, se a pessoa está com conjuntivite, muito provavelmente você também terá problemas.

Usar colírios sem prescrição médica – Comprar um colírio qualquer na farmácia é um erro clássico que pode ser desastroso. Colírios com corticoide, por exemplo pode fazer com que a pressão ocular aumente, ocasionando um glaucoma no futuro. Por isso sempre é bom consultar um oftalmologista para qualquer medicamento ocular.

Mãos sujas – Sempre é melhor visitar o banheiro e lavar as mãos com mais regularidades e mantê-las longe do seu globo ocular para evitar infecções e contaminações.

Não limpar as lentes de contato diariamente – Como estão em contato direto com o olho, é comum que as lentes acumulem substâncias do ambiente externo, como poeira. Além disso, o olho produz muco, que vai sendo depositado nas lentes. A limpeza é crucial para que tais substancias não se acumulem.

Óculos de sol Falsificados – Muitas pessoas optam por comprar óculos de sol em feira ou camelôs. Atraídas pelos preços naturalmente mais baixos que em óticas especializadas, esses indivíduos esquecem que esses produtos não têm filtro de proteção adequada ao raios ultravioletas. Com a coloração mais escura, as pupilas se dilatam – o que, ironicamente, faz com que a pessoa fique ainda mais vulnerável aos raios solares do que se estivessem sem óculos algum, já que pupilas mais abertas facilitam a entrada dos raios ultravioletas no olho.

Óculos de leitura sem prescrição médica – Não é difícil encontrar óculos de leitura já prontos em óticas: basta chegar, comprar e levar óculos com grau. O problema é que esses óculos possuem o mesmo grau nos dois olhos, o que dificilmente atenderá à realidade do paciente. Assim, a pessoa terá que fazer um esforço muscular com algum dos olhos causando astenopia (cansaço ocular).