O Verão ainda não chegou, mas o calor sim. Por isso, sol, praia e piscina já são ambientes bastante frequentados.

Isso antecipa os cuidados com os olhos para evitar problemas, como a Síndrome do Olho Vermelho, marcada pela vermelhidão, lacrimejamento, sensação de corpo estranho, queimação, fotofobia e visão borrada.

Ela aumenta em 20% na estação mais quente do ano. Esses sintomas podem parecer inofensivos, mas, segundo os especialistas, não devem ser ignorados. Os olhos, juntamente com a pele, são órgãos bastante expostos e afetados no calor, portanto, merecem atenção e cuidados.

Os sintomas da Síndrome do Olho Vermelho são similares aos da conjuntivite, alergia, ceratite (inflamação na córnea) ou olho seco. Para saber do diagnóstico correto e o tratamento adequado, é preciso visitar um oftalmologista, se eles surgirem ou ainda forem recorrentes.

Infelizmente, no Brasil, é forte a cultura da automedicação, e os colírios não fogem à regra. O problema é que o uso sem prescrição médica, só para clarear os olhos, pode mascarar uma doença séria.

Uma atenção especial deve ser dada à visão das crianças, que adoram ficar na água do mar e da piscina. Elas também sofrem com a Síndrome do Olho Vermelho, assim como de alergias e conjuntivites. Óculos de natação são recomendados para os banhos de mar e de piscina, já que protegem os olhos.

Conjuntivite – Outro problema ocular recorrente no calor é a conjuntivite, inflamação na conjuntiva – membrana que reveste o globo ocular e as pálpebras. Ela também provoca vermelhidão. No Verão é comum a ocorrência de surtos de conjuntivite viral causados pelas aglomerações das praias e piscinas. A conjuntivite pode ser viral, bacteriana, alérgica e tóxica, causada, inclusive, pelo protetor solar que escorre para os olhos. Cada uma tem um tratamento diferenciado, portanto, neste caso, também vale a recomendação de procurar um médico e não se automedicar, ao sinal dos sintomas.  

Cuidados com os Olhos no Calor:

– Lave sempre as mãos e não coce os olhos.

– Não compartilhe maquiagens ou outros produtos de beleza.

– Use óculos escuros com fator de proteção UVA e UVB.

– Evite exposição em horários de pico do sol.

– Use óculos de mergulho para nadar.

– Não utilize colírio sem orientação médica; o uso de medicação incorreta pode agravar o quadro ou mascarar sintomas.

– Entre usuários de lentes de contato, que devem ter atenção redobrada, principalmente no verão, na assepsia correta das lentes de contato, utilizando as soluções indicadas.