SUA ÓTICA EM CUIABÁ ESPECIALIZADA EM ÓCULOS DE GRAU, SOL, LENTES E ARMAÇÕES.

Cuidados com a saúde dos olhos durante o Carnaval

O mês de fevereiro chegou e com ele uma das festas populares mais aguardadas por grande parte dos brasileiros, o Carnaval. Nesta época, é importante lembrar os foliões que além da preocupação com as maquiagens e fantasias, é preciso se atentar a alguns cuidados gerais com a visão para aproveitar em segurança os dias de diversão.

Como muitas celebrações acontecem em ambientes a céu aberto, usar um bom óculos de sol ou lentes fotossensíveis, protetores solares apropriados para o rosto para evitar que escorram com o suor e lubrificar os olhos com lágrimas artificiais para evitar o ressecamento, são práticas recomendadas.

“Nas festas, também é comum que as pessoas se divirtam usando espumas ou sprays, confetes ou serpentinas. É importante cuidar para que eles não caiam nos olhos. Isso porque, os produtos podem causar lesões na córnea, irritação e outras alergias”, lembra o Dr. Francisco Irochima, médico oftalmologista e consultor da HOYA Vision Care, empresa japonesa que produz lentes para óculos de alta tecnologia desenvolvidas para correção de problemas de visão. 

As maquiagens, também muito usadas no período, são um ponto importante de atenção! Higienizar as mãos, pincéis e aplicadores antes do uso, escolher produtos dermatologicamente testados e hipoalergênicos, e fazer um teste de alergia antes de aplicá-los devem estar entre os cuidados. Além disso, não é recomendado compartilhar produtos, pincéis e aplicadores ou dormir com as pinturas, principalmente na região dos olhos. O acúmulo de produtos como lápis de olho, delineadores, sombras e máscara para cílios podem obstruir os canais lacrimais, causar irritações e inflamações.

No caso do glitter, o ideal é fazer um teste de alergia um dia antes de usá-lo. Passe um pouco de glitter no antebraço e ao retirar, observe se a pele ficou avermelhada, irritada ou se apresenta coceira. Caso observe alguma dessas reações, é aconselhável não utilizar o produto. Importante também se assegurar que o glitter não entrará nos olhos ao se maquiar, pois pode causar irritação ou até mesmo arranhar a córnea. “Se sentir que o glitter entrou em contato com os olhos, lave bem com água corrente e soro fisiológico. Se apresentar irritação, procure um oftalmologista”, orienta Irochima.

Se utilizar adereços nos olhos, como cílios postiços, evite adesivos ou super cola, não compartilhe e os higienize após a utilização. Os cílios naturais funcionam como barreiras que impedem partículas de entrar em contato com os olhos e também possuem a função de sensores, pois com a aproximação de objetos estranhos, fazem com que os olhos se fechem automaticamente.

Já para quem usa lentes de contato, os cuidados devem se concentrar na higienização das lentes antes e após o uso, assim como a lavagem das mãos na hora de colocá-las e retirá-las. O alerta também vale para não compartilhá-las com outras pessoas, usar lágrimas artificiais para evitar o ressecamento das lentes, lembrar de retirá-las antes de dormir e suspender imediatamente o uso, caso estejam rasgadas ou danificadas.

Risco de contração de doenças oculares

Com o Carnaval, o risco de contração de doenças oculares como conjuntivite, síndrome do olho seco e ceratite, aumenta. Além de reações alérgicas aos produtos. Por isso, fique atento aos sintomas, irritações, coceiras ou qualquer dano. Lave superficialmente os olhos com água filtrada abundante ou soro fisiológico. Em seguida, procure um oftalmologista para verificar a situação.

“Não tente solucionar o problema sozinho. A automedicação pode ocasionar em intoxicação e reações alérgicas que podem prejudicar ainda mais os olhos. Caso sinta algum incômodo que afete a visão, consulte um médico oftalmologista. Assim é possível realizar exames para diagnosticar as causas do problema e iniciar o tratamento adequado”, complementa Irochima. 

Fonte: FleishmanHillard

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram

Matérias Relacionadas

Ceratocone em crianças dispara

Relatórios da ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgão) indica aumento 32% nas inscrições de transplante pediátrico. As mudanças climáticas estão aumentando a prevalência de