Fotofobia é um desconforto específico dos olhos causado pelo excesso de claridade incidindo sobre eles. Na verdade, excesso de claridade é relativo e muitas vezes acontece mesmo num nível de iluminação considerando normal pela maioria das pessoas, devido a uma hipersensibilidade das células sensoriais da retina à luz.

Ela pode ocorrer em qualquer idade. Muitas vezes não está relacionada com nenhuma doença e pode ocorrer em situações fisiológicas devido a uma exposição a luz muito intensa, permanência por muito tempo em um ambiente escurecido, ou manutenção dos olhos fechados por muito tempo, etc.

No entanto, muitas doenças podem ocasionar fotofobia grave e ocasionar dor intensa nos olhos, mesmo com claridade relativamente baixa como: Irrite e uveíte agudas,doença da córnea, infecções nos olhos, olhos secos, astenopia, ceratoconjutivite, doenças da retina ou vítreo, neurite óptica, papiledema, abrasão da córnea, doença, lesão ou infecção nos olhos (calázia, episclerite, glaucoma).

Tratamento

Apenas após o exame oftalmológico é possível definir a alternativa terapêutica para quem reclama da claridade excessiva. Se o oftalmologista não diagnosticar nenhuma doença, a pessoa tem duas saídas para a fotofobia: aprender a lidar com ela, se o grau for minimamente suportável ou encontrar maneiras de regular a quantidade de luz que entra nos olhos, seja controlando a intensidade de luzes artificiais, seja usando óculos escuros em ambientes externos, que é a estratégia mais adotada por quem sofre desse mal.

É importante destacar a importância do uso de lentes de boa qualidade, tanto em relação à matéria-prima quanto à confecção. O uso de lentes que não tenham proteção contra raios ultravioleta pode ser extremamente prejudicial, pois como os óculos são escuros, a pupila está mais dilatada.

Mas se não existe proteção contra raios UV, a quantidade de radiação que entra é maior. Essa luz invisível pode fazer com que pessoas mais sensíveis tenham predisposição maior a catarata e processos degenerativos da retina.

Além da proteção contra a radiação ultravioleta, as lentes ideais devem ter uma superfície bem surfaçada, com curvas de boa qualidade. As lentes não podem ser onduladas porque podem provocar astigmatismo.

A fotofobia tende a desaparecer quando a doença que a causou é curada.

Todas as pessoas devem usar rotineiramente óculos com lentes escuras com proteção contra raios ultravioleta, pois mesmo em olhos saudáveis a radiação solar pode ser perigosa. Os raios ultravioleta são os mais prejudiciais à visão.