Desde 24 de julho, data de abertura oficial da Policlínica da Vila Olímpica, cerca de 900 pessoas já passaram pela clínica oftalmológica instalada no local, e a expectativa é superar 3.000 atendimentos até o fim das competições. Ao longo dos 60 dias, 200 profissionais, entre oftalmologistas, tecnólogos oftálmicos, profissionais de enfermagem e óptica, técnicos e equipe de apoio, estão à disposição para consultas e exames; doação de óculos de grau e lentes de contato; e distribuição de materiais informativos de prevenção e promoção da saúde ocular.

O atendimento é gratuito para os mais de 10.500 mil atletas e delegações de 205 países que participam dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Essa é a primeira vez que a triagem é realizada por tecnólogos oftálmicos e todos os pacientes serão examinados por oftalmologistas. Até então, nas outras edições jogos, a triagem era feita por optometristas e apenas entre 10% e 15% dos pacientes eram encaminhados para médicos oftalmologistas.

O H.Olhos – Hospital de Olhos Paulista, um dos maiores e mais completos centros oftalmológicos do Brasil e Fornecedor dos Jogos Olímpicos Rio 2016 é o responsável pela iniciativa, que visa a promoção da saúde ocular e do conhecimento às milhares de pessoas envolvidas no evento.

A grande procura vem de países sem atendimento especializado e onde o tratamento oftalmológico possui um custo elevado. Existem casos em que é primeira vez que a pessoa visita um oftalmologista. Estamos fazendo retinografias, exames mais detalhados e, aproximadamente, 70% das consultas foram relacionadas à refração, com os pacientes saindo do local com óculos em mãos, gratuitamente. O serviço está agradando atletas e delegações, que, como forma de reconhecimento, entregam pins oficiais de seus países e lembranças para os profissionais da Policlínica. Mais do que proporcionar atendimento médico, desejamos levar o bem-estar aos atletas e delegações, ampliando sua qualidade de vida.

O apoio à competição reforça o papel social do H.Olhos, pois ainda existe uma carência expressiva no acesso à oftalmologia ao redor do mundo. Com essas consultas, dessa vez, por médicos, muitas afecções poderão ser detectadas e os pacientes melhor orientados. Outro destaque é a realização de um estudo epidemiológico, que será importante para enriquecer os atendimentos em edições futuras.

Iniciativas direcionadas à questão social não são novidade para o H.Olhos. Além de um extenso programa de educação continuada com conteúdos voltados à formação de agentes de saúde ocular, o hospital é mantenedor do Instituto Verter, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que desenvolve ações na área de educação, pesquisa, assistência e projetos de responsabilidade social, e já atendeu mais de 10.000 pessoas gratuitamente, doou mais de 6.000 óculos e viabilizou 150 cirurgias.