Oftalmologista esclarece as principais dúvidas sobre o assunto.

Mesmo antes da pandemia, já era uma tendência o uso prolongado de aparelhos como o celular, o notebook, a televisão e o tablet. Agora que não devemos sair de casa para não aumentar a propagação do coronavírus, respeitando as orientações da OMS – Organização Mundial da Saúde, estamos cada vez mais em frente às telas, seja trabalhando ou buscando algum tipo de entretenimento. Segundo o oftalmologista do São Cristóvão Saúde, Dr. Eduardo Martines, ficar em frente às telas não faz mal, mas pode cansar e causar incômodos na visão.
“Além de lubrificar os olhos, a lágrima deixa a superfície ocular lisa e transparente para que os raios passem e a visão fique melhor. Quando utilizamos em frente à televisão, computador, celular, etc, fixamos o olhar, isso faz com que a gente pisque muito menos do que piscamos normalmente para prender a atenção, assim não lubrificamos os nossos olhos com lágrimas, deixando-os ressecados e consequentemente, a visão não fica tão nítida.”, disse o oftalmologista.
As telas estão liberadas, mas os olhos precisam de descanso, ok? “A recomendação da OMS é dez minutos de descanso a cada uma hora de esforço visual. Durante o descanso, tire totalmente o foco da tela e olhe para bem longe durante 20 segundos, piscando diversas vezes. Com isso, os olhos terão uma lubrificação maior e as queixas de problemas podem ser menores.”, finalizou o oftalmologista.
Vale lembrar que caso perceba cefaleia em volta dos olhos depois de grande esforço visual, note que não está enxergando coisas que as pessoas mostram, sinta ardência ocular, visão embaçada, olhos vermelhos e outros sintomas relacionados, deve-se procurar por um oftalmologista.
Fonte:
PR Américas